TOLDOS

Cobertura protege ambientes internos e cria espaços externos

Os móveis e os objetos de decoração estão estragando com o sol que entra pelo vidro da janela ou da porta? Você precisa de uma cobertura externa para as horas de lazer, mas não quer enfrentar uma obra? Os toldos são ótimas opções para esses e outros casos. E o melhor: a instalação é rápida, com a vantagem de a maioria dos modelos trazer a opção de recolhimento, o que faz com que a fachada volte a exibir suas características originais.

A proteção contra o sol é o item mais lembrado quando o assunto são toldos. E realmente eles são eficientes nesse quesito, pois filtram os raios solares, controlam a luminosidade e diminuem a temperatura interna do ambiente. As janelas são responsáveis por 40% do aquecimento interno indesejado. Com a utilização de toldos há redução de 5 a 10 graus na temperatura do ambiente, o que pode gerar economia de energia no uso do ar-condicionado.

Esse tipo de cobertura, porém, vai além do sol: protege também contra a chuva e cria outros ambientes externos, como varandas, churrasqueiras e áreas junto à piscina, sem a necessidade de novas construções.

Funcionais e decorativos

Já que é preciso proteger a casa contra as intempéries, por que não unir o útil ao agradável? É o que fazem os profissionais de decoração na hora de criar um ambiente com toldo, integrando-o à arquitetura.

Um tipo para cada situação

Os modelos de toldos mais encontrados no mercado são os enroláveis, de braços articulados, e os móveis retos. Há ainda outras variações como os retráteis, que fecham de forma sanfonada; os embutidos, que também possuem braços articulados, mas ficam guardados em um boxe quando recolhidos; e os fixos, que não fecham e têm estrutura de alumínio aparente.

Na hora de escolher o modelo não há regras rígidas, entretanto, os profissionais sugerem analisar o local e as necessidades específicas. Se a intenção for proteger janelas e portas do sol e da chuva em locais com muito vento, as melhores opções são os toldos móveis retos ou os fixos. Eles são presos em diversos lugares da parede e, por isso, oferecem mais segurança.

Se a idéia for criar novos ambientes e ao mesmo tempo se proteger contra o sol, mas não da chuva e do vento, pode-se optar pelos toldos de braços articulados, que são fixados em apenas dois pontos.

Revestimentos utilizados

É bom prestar atenção na hora de escolher o material que vai cobrir o toldo. Em relação às lonas, as mais usadas são a sintética e a acrílica.

A lona sintética é composta de uma tela de poliéster revestida de PVC, com modelos opaco (blackout), translúcido (passa um pouco de luz) e semitranslúcido. O material é impermeável e, por isso, ideal para toldos expostos à chuva. Além dessa vantagem, é de fácil manutenção.

A lona acrílica, como o próprio nome diz, é fabricada com fios de fibras desse material. Ela é semelhante a um tecido, o que lhe confere sofisticação e menos retenção de calor. Como esse tipo de lona é somente repelente à água, e não impermeável, o toldo deve ter bastante inclinação para que o líquido escorra e evite o acúmulo.

Os profissionais lembram que os dois materiais devem receber tratamento antimofo e filtro UV (ultravioleta), para não ressecar sob os raios solares.

Estrutura e acabamentos possíveis

Os componentes utilizados na fabricação não podem enferrujar com facilidade. Por isso recomendam-se estrutura de alumínio e aço inox e pinturas especiais, como a eletrostática, a anodizada e a epóxi.

Um conselho dos profissionais é seguir o estilo da casa quando se trata de acabamentos (dourado, escovado, envernizado, oxidado etc.) Por exemplo, se as maçanetas das portas forem douradas, a estrutura do toldo deve manter o mesmo padrão.

Acionamento manual ou automático

O abrir e fechar dos toldos pode ser uma tarefa tanto manual como automática. No primeiro caso, o acionamento é feito por redutores movimentados por manivelas. Já o automático é realizado por um motor cilíndrico embutido no tubo enrolador do toldo, que pode ou não ser acionado por controle remoto.

Existe ainda um tipo de motorização que abre e recolhe o toldo automaticamente por meio de um sensor de células fotoelétricas e de um anemômetro (instrumento para medir a velocidade e a intensidade do vento). Quando venta muito, por exemplo, ele fecha sozinho, sem necessidade de ser acionado.

Prazo de entrega e instalação
Após o orçamento feito no local e fechado o pedido, as empresas levam em média de 20 a 30 dias para entregar e instalar o toldo.
A colocação da maioria dos modelos é simples, e o tempo necessário para o serviço depende do tamanho escolhido, do local e do material a ser utilizado. Os mais tradicionais, como o de braços articulados de 4 m de largura por 2 m de avanço, levam em média 1h30 para ser instalados.

 

Dicas úteis

• Verifique a incidência do sol antes de decidir o tamanho do avanço do toldo.
• Observe onde será a caída da água. Evite o caimento em locais de muita circulação, por exemplo.
• Os limites de medidas dos toldos enroláveis são 16 m de largura por 4 m de avanço (braços articulados). Se quiser aumentar a largura, instale mais de um toldo, um ao lado do outro.
• A limpeza do toldo pode ser feita uma vez por mês, com água e xampu apropriado (encontrado em lojas especializadas) ou sabão neutro. Para esfregar, use uma escova ou vassoura de cerdas macias. As máquinas que limpam com pressão de água também são recomendadas.
• Se tiver dúvidas em relação à segurança da parede que vai receber o toldo, consulte um especialista antes de instalar.


Fonte: Viver Bem - Uol